quarta-feira, 29 de setembro de 2010

Arte livre
Sonho pesado
Troféu querido
Esclarecido
Quero duas
Uma de cada vez
E nem é caipirinha
É menina minha
De calcinha pra cima
Apertando no rabo
Cor de abóbora, que delícia
Ó, se eu acho uma
Mandei comprar
E usar
Pra meu deleite
Todas terão
Tesão demais

Um comentário:

katihobbit disse...

Gostei do texto, tem jeito para poemas, parabéns
beijos