sexta-feira, 30 de setembro de 2011

pois é possível

cascata de puta poça zen
mate a primavera
é o que convém
assimile a sua desgraça
de cabeça pra baixo
toque a lama e se despeça do trabalho
indignado
sem cume
sem manga
sem nicho
sem vida
sem vício
rogaram-te a vida
e o que você fez?
faça de novo
morra em um ovo
preso para sempre
castigo pertinente
ninguém se importa com você
você merece o tédio e a morte
a doença e o esquecimento
duas vezes mais
quatrocentas vezes mais
matemática existe
pra te punir
morra
pois é possível
acabar com você

3 comentários:

Dalyla Carvalho disse...

Que inspiração. :B

Karla Hack dos Santos disse...

Quanta força nos versos...
Pulsão.

;D

Manfra disse...

Mto bom... ação enigmatica de inexplicavel conhecimento... gostei

Partodelua.blogspot.com