domingo, 19 de fevereiro de 2012

carne pra quem quiser...

1

_ Tô colocando os patinho pra piar...
_ Mas, patinho não pia, quaquareja, não é, Piana?
_ Ah, já tô colocando os patinho pra quaquarejar...
_ Vai matar eles de fome, isso sim. Essa hora já da manhã e eles não comeram nada ainda. Ficam aí nesse coro seu, quaquarejando...
_ Deixa comigo que meus patinhos quem quaquareja sou eu.
_ Quaquareja até eles morrerem de fome, né, Piana?
_ Quaquarejar com fá ou quaquarejar com ré? _ perguntava Piana aos patos.
_ No que eles respondiam: _ Quá, quá! Quá quá quá quá!! _ e ela entendia.
_ Mas então, Piana, falando com pato agora?
_ Eu entendo o quaquarejar dos meus patinhos, me dá licença ou tá difícil?
_ Ah, quer saber, licença toda, eu tô fora daqui...
_ Tchau, mas deixa meus patinhos comigo, não leve um sequer, tchau...


2

_ Panela cheia é que faz comida boa...
_ Mas, meu Deus! Quantos dos meus patinhos você colocou nessa panela?
_ E, Piana, sai pra lá, porque isso daqui tem autorização do papai.
_ Mas, meus patinhos!! Quantos? Um, dois, três, quatro, cinco! Ah, sua desossada! Você vai me pagar caro por isso.
_ Pagar porquê? Não estou aproveitando a patada toda antes que eles caíssem mortos?
_ Meus patinhos! Meu quaquarejar!!
_ Vai ficar uma delícia. Fica em paz aí, que de pato eu entendo...
_ Mas, meu Deus! Meu Deus! Me ajuda!! Me ajuda porque eu não sei o que posso fazer agora!!!
_ Patinho um, patinho dois, patinho três! Todos bem quentinhos na minha panela! Vai ser super legal comer todos eles de uma vez!
_ Ah, meus patinhos, meu quaquarejar.
_ Vai lá fora porque se você quer pato vivo lá ainda tem.


3

_ Como professor de Ciências que sou, devo explicar a todos vocês meu alunos o porquê de não se comer carne de pato ou outro animal que for, ao contrário do que acabou acontecendo na estória que acabei de passar pra vocês. É só se lembrar de uma coisa: animal é porra germinada em um óvulo. No caso do conto, a mulher encheu a panela de porra de pato, nada mais do que é a carne do pato. Boi, frango, tudo a mesma coisa. Imagine vocês almoçando farto um prato e tanto de porra de boi. É a mesmo coisa... É uma nojeira, desculpe se não achei expressão melhor.

_ Professor, mas eu gosto de porra de pato mesmo assim...

_ Seja feliz. Pode ser até compreensível as mulheres comerem carne, se bem que tenham que ser um tanto quanto depravadas para tal feito. Agora pra homem, não é coisa desse mundo não.

Um comentário:

Arash Gitzcam disse...

Vlw, professor! rssrsss