quarta-feira, 18 de abril de 2012

o medo e a caveira

sinto me isolado
sinto falta do gelo
eu gosto de tudo gelado
até não restar mais medo
que não esteja sendo concebido
nas entranhas, na nuca e no coração
medo total
medo fantasia
medo saudável
medo real
quem conseguiria discernir
entre o medo bom e o medo mal?
não estou aqui pra discutir
mas sem o medo a vida não seria tão cativante
escravo dele pode ser qualquer transeunte
cada um vai situar o medo em sua vida
da maneira que merece

aquele medo que fica depois de assistir a um bom filme de terror
é uma imagem do que chamo medo saudável

não confundir medo com receio
receio é racional
medo é emocional

uma caveira de bronze puxou seu pé no asfalto que era sua cama naquele sonho
gritou te sedando os ouvidos enquanto chupava seu sangue para se tornar prata
depois de já ser uma caveira de prata ela queria o ouro
infestou seu quarto com fantasmas e mordidas de besouros
explodiu tudo em vermelho com uma batida de palma só
encarnou em você, virou você, agora é carne e sangue...

_
escrito ao som do álbum Ummagumma (Studio Album) do Pink Floyd

Um comentário:

Millena Blogueira disse...

Todos nós algum dia nos sentimos assim como o texto descreve.