quarta-feira, 28 de abril de 2010

SDde louvores a deuses, de espoquei suas paredes, te esporrei na sua porta, dte decsobri de lama. te chamei de minha porca, de esteperai pra fugir de vc pois tava com pau na mão do nada, só faltou gozar no seu narizinho de manhar quando vc sentiu o ar infestado de porrraaa.

2 comentários:

Karla Hack disse...

Letras que se cruzam em intensidade e crueza... adorei!

Yuri disse...

Consegui comentar porra!
uhhusauhsusasa
Tbm nã ovejo graça em um monte de palavra sem sentido(Sem sentido pra mim,claro!)