segunda-feira, 25 de outubro de 2010

vida e morte do poeta

assustado o poeta tenta
desvendar sua poesia, lamenta
tem apenas letras, não sustenta
a vontade de poder do já mal agourado
político desavisado

o que gosta mesmo é de brincar com as letras
ver surgir um significado amplo, até mesmo abstrato
como se fosse uma pintura em cores
abastadas de amores

e agora ele aprende
que tudo não depende
de outro algo para de repente
significar única e exclusivamente
um significado único
como tal
colocado em tais letras
que se fosse em outras
por sua vez também teria outro
significado

aí, você pode vir, e me perguntar sobre sinônimos
é, eles existem, são palavras semelhantes
mas nunca a mesma
que disseras antes

nunca houvera em sua vida
coisa melhor que cuspir garrida
palavra esta ou aquela
para depois as descobrir em algum significado
talvez tão amplo que quem sabe mais de um
algo sacrificado

a amplitude ele não vai abandonar
nem a surpresa que o faz a sustentar
significado irá descobrir
agora mais atônito do que decidir
se a surpresa ainda pode ser
ainda mais ampla do que podia você
entender ou deixar de lado
como se tudo estivesse errado

agora é só um
o resultado
o poeta aprende
que cada som, cada letra
é um significante que não pode ser trocado
sem que o sentido mude
que cada referente quer dizer única e exclusivamente certo sentido
que um texto pode ser vivido
como uma vida que já passou
que significado já atingira
e agora que até a morte suspira
nada irá mudá-lo
não além do escriturário
em único e exclusivo salário
de entender um só significado
a cada uma
delas
dela
ela
poesia

desculpe-me, poeta
não é bem assim
qual o poeta que ainda não deixou um significado
aberto ou temporário
se é denotativo ou conotativo?
será que precisa-se definir na poesia esse intervalo?
na minha nunca o fiz
ao menos nunca me liguei a este fato
porque a poesia está pronta
mas a festa de significados pode ser extraída das mais diversas formas
ou será que sempre teremos expresso num texto
se algo é denotado ou conotado?

desculpe-me novamente, poeta
talvez por ter pedido o desculpe-me anterior
tudo sim já está esclarecido
se é denotado ou conotado
nunca um termo o será ambos
seu texto é fechado, poeta
divirta-se com ele
fechado e amplo
colega
qual é, colega?
está morto e está só

5 comentários:

Victor Pagani disse...

Ah! Arash, sério eu gostei. Não consigo escrever nem duas estrofes haha Parabéns!

[]'s

Nando! disse...

Gostei mto do jogo de palavras e do ritmo e sonoridade dos versos...

Parabéns

thamires_fg01 disse...

muito bom em..
amei seu blog..
continue sempre assim.. bjuss

Gabriel Lemos disse...

interresante

Karla Hack disse...

É uma poesia processo... a cada nova fase mais intensa e interessanbte fica!
Muito bom!

;D