terça-feira, 28 de dezembro de 2010

apodrecerá o ouro?

dentro da gaiola que suas tripas são
há um cheiro de vitória
para ser menosprezado
por só existir na dúvida
osso de ouro apodrecendo
quando você não quiser mais
se debater em devaneios
torturas ou confusões

Um comentário:

Brunna disse...

Lindo o poema. Parabéns pelo blog!