quarta-feira, 9 de junho de 2010

entre os espaços
a mula padece
acontecendo em piadas
que ela mula emula

padecerá ente os porcos
que a devorarão
e a darão um espelho
pra ela se ver antes da morte

poucos são os caprichos dela
ela quer ser livre
e continuar a contar piadas
ter a sensação de que está agradando

6 comentários:

Vanda Ferreira disse...

Não sei se o sentido do seu poema foi esse, mas o que pude tirar é que por mais que façamos certas coisas nem sempre agradaremos a todos. O jeito é viver conforme achamos que é o certo, da nossa melhor forma, do melhor jeito e deixe que gostem de como somos se caso eles quiserem. Não faça esforço para agradar a ninguém se para isso for preciso nos desagradar.

Eu gostei do poema, me fez pensar, refletir...

Gostei do blog, estou te seguindo


Vanda Ferreira: http://vanda-ferreira.blogspot.com/

Anônimo disse...

bom...

da ate pra escrever um livro....ahsuashauha

no meu blog tbm tem um poeminhas......
procure sobre o projeto não faça bagunça , faça poemas..
em:
http://ximbolistas.blogspot.com/

Vanessa disse...

Ficou legal. Você usa a mula como uma metáfora certo? Acho que entendi.

Obrigada pela visita no meu blog :D
sempre bem vind ^^
www.vanessafunnygirl.blogspot.com

Caetano Lorenzetti disse...

A poesia apesar de confusa tem um sentido oculto..
muito bom.
http://analisefc.blogspot.com/

Melhor Free disse...

Muito bom!

Karla Hack disse...

Achei bem crua a poesia, num bom sentido.
É confusa, mas sincera.
;D